Curso de Competição BH

O Curso de Competição pode variar consoante o grau de dificuldade e diferenciação dos regulamentos das provas.

(Normas Campeonato Internacional FCI)

Regulamento Geral de BH

Podem participar todos os donos de cães que provem que já passaram no teste de conhecimentos específicos numa prova sancionada do VDH que tenha regras semelhantes às da Licença de Condutores do VDH, ou que apresentem o certificado de conhecimentos oficial.

Os que participam pela primeira vez no teste do VDH/BH e que não apresentam este certificado deverão passar o teste escrito de verificação de conhecimentos no dia da prova antes de iniciar a prova prática.

Cães de todos os tamanhos e raças são admitidos. A idade mínima é de 15 meses.

Para poder efectuar as provas de cães de companhia, é necessário um mínimo de quatro cães.

Caso o BH esteja combinado com outro tipo de títulos, deverá haver um mínimo de 4 participantes (por exemplo, participantes no VPG [Schutzhund], BH, etc). O número de participantes admitidos por dia de prova para um juiz de trabalho pode variar entre 10 e 15, de acordo com o número de especialidades a examinar, as quais não deverão ultrapassar 30. (Provas de cães de companhia que têm que realizar o exame de destreza escrito contam como 3 especialidades; sem o exame de teoria conta como duas especialidades).

Antes da admissão à prova de BH, os cães participantes serão submetidos a uma prova de apreciação do temperamento na qual se comprovará também a identidade do cão por controlo da tatuagem e/ou número do chip. Os cães sem identificação não terão acesso à prova.

A prova de apreciação do temperamento terá lugar durante todo o decorrer das provas.

Cães que demonstrem defeitos de carácter durante o teste, ( mesmo que tenham passado a primeira prova de temperamento) serão proibidos de continuar a participar.

O juiz pode excluir os cães que não passam nesta prova, anotando “Prova de Temperamento/Comportamento reprovado” no livro de pontuação.

Os cães que, na parte A, não alcançem 70% do solicitado, não poderão aceder às provas de trânsito (circulação) num espaço livre.

As provas serão aprovadas se, na parte A, se obtiver 70% dos pontos a alcançar e, na parte B, se o juiz considerar que os exercícios tenham sido efectuados de uma maneira satisfatória.

O título de BH não corresponde a um título no sentido do regulamento da raça, nem conta para exposição de beleza ou selecção de criação de cada raça membro do VDH./FCI

A prova BH pode ser repetida em qualquer altura. Todos e quaisquer resultados de cada prova são registados no livro de pontuação.

Parte A – Teste no Campo de Treino

  • Total de pontos: 60
  • Cada exercício individual começa e termina com o senta inicial.
  • O cão senta-se junto e ao lado esquerdo do dono com o ombro junto do joelho do condutor.
  • É dada apenas uma oportunidade ao cão para se colocar nesta posição.
  • O condutor deve manter-se na posição inicial de maneira desportiva e com as pernas juntas.
  • O senta inicial no fim de cada exercício pode ser o senta inicial do princípio do próximo.
  • Qualquer ajuda prestada pelo condutor resultará na dedução de pontos. Não é permitido levar nada na mão (brinquedos, etc) para motivar o cão.
  • Caso o condutor não consiga efectuar um exercício correctamente devido a uma deficiência física, o juiz deverá ser informado antes do início da prova. Se esta deficiência impede o condutor de levar o cão ao seu lado esquerdo, será autorizado a levar ao lado direito.
  • O juiz dá a ordem de início para cada exercício.
  • Os restantes exercícios, tais como as mudanças de direcção, paragens, mudanças de passo, etc serão efectuados sem nova ordem do juiz. Contudo, o condutor pode solicitar ao juiz que dê ordens.
  • É permitido elogiar o cão no fim de cada exercício. (+- 3 seg.)
  • Depois, o condutor pode adoptar um novo senta inicial. Entre elogiar o cão e o início do novo exercício, poderá haver uma pausa de aproximadamente 3 segundos.
  • O cão deverá permanecer junto do dono entre os exercícios.
  • Partindo do senta inicial e da ordem (Fuss) Vamos , o cão à trela e utilizando uma coleira ou arnês aprovados pelos direitos do animal, segue o condutor alegremente.
  • A trela tem que ir frouxa.
  • No início do exercício, o cão e o condutor andam para a frente sem parar 50 passos, dão meia volta e após 10 a 15 passos, mostram os passos rápidos e lentos durante um mínimo de 10 passos por cada velocidade.
  • Num passo normal, devem virar para a direita, para a esquerda e dar meia volta no mínimo.
  • O cão deve permanecer junto ao joelho esquerdo do condutor. Não pode andar à frente, atrás ou para os lados
  • A meia volta deverá ser para a esquerda.
  • A ordem (Fuss) Vamos, é permitido apenas no início do exercício e nas mudanças de passo.
  • Quando o condutor pára, o cão deve sentar-se rapidamente sem ajuda.
  • O condutor não pode mudar o senta inicial nesta altura do exercício e nunca pode aproximar-se do cão caso este esteja sentado longe dele.
  • Durante o exercício de (Fus) Vamos, a trela deve ser levada na mão esquerda e deve estar frouxa.
  • Sob a ordem do juiz, o cão e o condutor passam pelo meio de um grupo de pelo menos quatro pessoas.
  • O condutor e o cão devem parar pelo menos uma vez dentro do grupo. As pessoas do grupo devem mexer-se à vontade.
  • Será considerada falta se o cão permanecer atrás ou à frente, ou se se desviar para o lado, e se o condutor parar instantaneamente quando muda de direcção.
  • O andar junto e passar pelo grupo será demonstrado com e sem trela.
  • O cão deverá contornar uma pessoa pela esquerda e depois pela direita pelo menos uma vez (por exemplo, em forma de “8”). Cada vez que passa pelo grupo, o condutor deverá parar perto de uma pessoa.
  • O juiz pode solicitar a repetição do exercício. É apenas permitido elogiar o cão no senta inicial depois de sair do grupo.
  • Meias voltas (180º)
  • Dois tipos de meias voltas são permitidos e deverão ser efectuadas para a equerda. o cão pode contornar o condutor ou acompanhar o condutor numa meia volta para a esquerda.
  • Ordem: “Anda cá” (Füß)
  • À ordem do juiz, a trela é retirada com o cão no sit inicial. O condutor pendura a trela no ombro ou mete-a no bolso. (Em ambos os casos, a trela é arrumada do lado contrário do cão, ou à volta do ombro esquerdo com o fecho à direita ou no bolso direito).
  • A equipa volta a passar pelo grupo com o cão sem trela, parando pelo menos uma vez no meio do grupo.
  • Depois de sair do grupo, o condutor tomará brevemente o senta inicial e depois começará a rotina de (Fuss) Vamos de forma análoga ao Exercício 1.
  • Padrão do andamento correcto solicitado na Prova
  • O padrão pode ser efectuado com as voltas efectuadas ao contrário
  • Ordem: “Sit” (Sitz)
  • A partir do sit inicial e com o cão junto sem trela, o condutor dá 10 a 15 passos em frente.
  • À ordem sit o cão deverá sentar-se rapidamente, sem o condutor parar nem olhar para trás.
  • O condutor afasta-se 30 passos e pára, virando imediatamente na direcção do cão.
  • Sob a ordem do juiz, o condutor voltará para o cão e retomará o sit inicial ao lado direito do cão
  • Se o cão permanecer em pé ou se deitar em vez de sentar, serão deduzidos 5 pontos.
  • Ordem: “Deitar” (Platz)
  • A partir do senta inicial e com o cão junto sem trela, o condutor dá uns passos em frente.
  • Após um mínimo de 10 passos e depois de dar a ordem “Deitar” (Platz), o cão deverá deitar-se rapidamente, sem o condutor parar nem olhar para trás.
  • O condutor afasta-se 30 passos, vira imediatamente na direcção do cão e pára.
  • À ordem do juiz, o condutor chama o cão, que deverá aproximar-se rápida e alegremente, sentando-se à frente.
  • Sob a ordem (Fuss) Vamos, o cão senta-se junto ao condutor.
  • Se o cão permanecer em pé ou se deitar, 5 pontos serão deduzidos.
  • Ordem “”Deitar” (Platz)
  • No início do exercício de obediência do outro cão, o condutor deita o cão na posição inicial num lugar designado pelo juiz sem deixar a trela nem outro tipo de artigo com o cão.
  • O condutor afastar-se-á 30 passos e permanecerá nesta posição de costas viradas para o cão.
  • Durante o“Deitar”, o cão deverá permanecer deitado calmamente.
  • À ordem do juiz, o condutor aproxima-se do lado direito do cão e, à segunda ordem do juiz, traz o cão para a posição inicial com a ordem “Sit” (Sitz).
  • Se o cão se sentar, permanecer em pé ou estiver inquieto, será penalizado
  • Se o cão se mexer mais que o comprimento do corpo da posição de “Deitar”, reprovará o exercício.
  • Não será permitido qualquer demonstração de inquietude pelo condutor nem qualquer ajuda adicional.
  • As fêmeas deverão ser deitadas separadamente, caso seja possível.
  • Um cão que não obtiver um mínimo de 70% (42 pontos) nos exercícios 1 a 5 é desqualificado da prova.

Parte B – Prova no trânsito

  • Os seguintes exercícios desenvolvem-se fora do campo de treino num abiente apropriado.
  • O juiz em conjunto com o director do teste determinará onde e como os exercícios serão desempenhados no meio do trânsito (ruas, avenidas ou praças). Não é permitido impedir a circulação normal do trânsito.
  • Devido às suas características, é necessário estabelecer um período de tempo prolongado para a implementação destas partes da prova.
  • Os requisitos do desempenho não podem ser sujeitos ao julgamento superficial de demasiados cães.
  • Não se atribuem pontos a exercícios individuais na parte B.
  • A impressão geral do comportamento do cão no trânsito e no meio do público será avaliado em conjunto para poder passar esta parte da prova.
  • Os exercícios descritos a seguir são apenas sugestões e podem ser modificados pelo juiz de modo a adaptá-los às condições locais.
  • Caso o juiz tenha dúvidas em relação à pontuação, pode mandar repetir ou alterar os exercícios.
  • Sob a ordem do juiz e com o cão à trela, o condutor caminha pelo passeio numa determinada secção de uma rua.
  • O juiz segue a equipa a uma distância apropriada.
  • O cão deverá andar à vontade ao lado esquerdo do condutor com a trela frouxa e com o ombro junto do joelho do condutor.
  • O cão deverá mostrar indiferença perante as pessoas e o trânsito.
  • Pelo caminho, uma pessoa (alguém escolhido para fazer isto) atravessa à frente do condutor. O cão deverá mostrar-se neutro e indiferente.
  • O condutor e o cão seguem em frente e entram num grupo de pelo menos 6 pessoas todas à vontade, em que uma delas fala com o condutor e cumprimenta-o com um aperto de mão.
  • À ordem do condutor, o cão deverá sentar-se ou deitar-se junto dele e comportar-se com calma enquanto as pessoas conversam.
  • Com o cão à trela, o condutor caminha por uma rua e é ultrapassado por trás por um ciclista que toca a campainha da bicicleta quando passa. A uma certa distância, o ciclista vira e aproxima-se do cão/ condutor e volta a tocar a campainha junto deles.
  • O padrão de trânsito deverá ser montado de modo a que o cão esteja entre o condutor e o ciclista.
  • O cão deverá mostrar-se indiferente à bicicleta e ao ciclista.
  • O condutor e o cão com trela passam por vários automóveis.
  • Um dos automóveis arranca quando passam por outros automóveis, fecha-se uma porta.
  • Mais à frente, um automóvel pára próximo do cão e do condutor.
  • O condutor do automóvel abre a janela e pede informações ao condutor do cão.
  • Ao mesmo tempo, o condutor do cão manda o cão sentar-se ou deitar-se.
  • O cão deverá mostrar calma e indiferença perante os automóveis e os barulhos do trânsito.
  • O condutor e o cão, à trela, caminham por uma rua sossegada.
  • Um mínimo de duas pessoas a correr ultrapassam sem reduzir a velocidade.
  • Depois de um deles ter passado, outro aproxima-se do condutor e do cão e passa por eles sem reduzir a velocidade.
  • O cão não tem que ficar junto do condutor mas não pode meter-se com nenhuma das pessoas que estão a passar (vindo de trás ou de frente).
  • Durante os encontros com as pessoas a correr, o condutor é autorizado a mandar o cão sentar ou deitar-se.
  • Em vez das pessoas a correr um ou dois patinadores podem ultrapassar o condutor e o cão (vindo de trás ou de frente).
  • Ao ser ultrapassado por um cão ou ao encontrar-se com outro, com o seu condutor o cão deverá comportar-se de uma forma neutra.
  • O condutor pode repetir a ordem (Fuss) Vamos ou mandar o cão sentar ou deitar-se durante os encontros.
  • Sob a ordem do juiz e com o cão à trela, o condutor caminha pelo passeio de uma rua relativamente movimentada.
  • Alguns passos à frente e sob a ordem do juiz, o condutor pára e prende o cão a uma cerca, poste ou semelhante.
  • O condutor desaparece de vista entrando numa loja ou numa casa.
  • O cão deverá permanecer em pé, sentado ou deitado.
  • Durante a ausência do condutor, uma pessoa (escolhida para fazer isto) passa pelo cão em prova com outro cão à trela, a uma distância de aproximadamente 5 passos.
  • O cão que foi deixado sozinho deverá permanecer tranquilo durante a ausência do condutor.
  • Deverá deixar o outro cão passar sem mostrar agressividade (sem puxar na trela com força nem ladrar constantemente). À ordem do juiz, o cão é recolhido.
O juiz designado deverá decidir se vai efectuar os exercícios individuais com cada cão nos respectivos locais escolhidos ou se vai deixar os candidatos completar apenas alguns exercícios e depois seguir para o local da prova seguinte e proceder da mesma maneira.
No caso do RCI/IPO o curso terá a duração de 6 meses e é independente dos cursos anteriores.
CUSTO DO CURSO DE RCI/IPO

€400 valor mensal (I.V.A. Incluído), por um período de 6 meses, de Segunda a Sexta-feira. Alimentação cobrada à parte dependendo da quantidade.

Garantia Técnica Caninus cursos

Garantia Técnica Caniroa Hotel e Instrução Canina, Lda

Qualquer cão que, por razão nossa, no final do curso de Instrução canina não esteja ao nível técnico que nos diferencia e que sempre habituamos os nossos alunos, terá aulas em número suficiente até atingir o nosso patamar, sem encargos para os donos.

Acreditamos e sempre defendemos a honestidade e honra profissional, elaborando cursos e objectivos com principio e fim com data marcada e não entramos no “sistema de aulas e mais aulas” sem qualquer garantia onde por vezes cães e donos são fortemente prejudicados.

Para mais informações por favor contacte-nos: T.: 966 513 223

Formulário de Contacto